"Somos anjos duma asa só e só podemos voar quando nos abraçamos uns aos outros."

Pensamento de Fernando Pessoa deixado para todos os que estão na lista abaixo e àqueles que passam sem deixar rasto. Seguimos juntos!

OS AMIGOS

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

CONVERSAS DE PAI






Já aqui falei muito do meu pai. Homem curtido pelo salgadiço do mar e coração doce, fruto de muitas vivências que ele soube arrecadar e usá-las para seu crescimento enquanto ser humano. Esta mistura dá-lhe um toque temperado e genuíno que transparece sempre nas suas atitudes e palavras.
Hoje fui com ele ao hospital para que lhe fosse feito um exame. A sala estava repleta de gente mas o silêncio era ensurdecedor, quebrado apenas pela televisão que todos fingiam ver e pelo tilintar do chamamento electrónico que nos faz levantar da cadeira como autómatos. Ao nosso bom-dia foram poucos foram os que retribuíram. Sentamo-nos e o meu pai – como é hábito – não demorou muito tempo até quebrar o gelo silencioso do ambiente. Começou com uma frase circunstancial endereçada para mim, mas rodou um olhar extensível aos presentes, numa espécie de convite à conversa. Um senhor olhou-o atentamente e sorriu e depressa se deu aquele contágio falante tão peculiar na sua presença. 
O meu pai, agora já encorajado pela adesão, voltava as atenções para os mais renitentes e o silêncio foi substituído por uma acesa troca de experiências de vida onde não faltou a emoção.
Ele é um contador das histórias que fazem morada na sua própria história. Conta-as com uma simplicidade que lhe é característica onde não cabe nem vaidade nem receio, muito menos alguma espécie de azedume ou complexo pelo que foi ou é.
Calmamente passeou pela sua infância e adolescência; pela sua experiência enquanto filho e enquanto pai. E foi precisamente neste último patamar que os seus olhos ficaram marejados e olhando para mim disse: “as minhas filhas são a melhor coisa que Deus me deu”
Olhei para o lado tentando disfarçar…
É que o meu pai raramente se refere a Deus como um dador de graças, até aqui dizia o mesmo mas referindo-se à sorte como sua aliada e isto comoveu-me...
Sim, somos uma graça de Deus. E veio de Deus a graça de ter um pai assim...
Com tudo isto escusado será dizer que quando nos despedimos a sala ficou de conversa bem implementada e a despedida do meu pai foi feita um por um como se conhecesse todas as pessoas desde sempre. 

6 comentários :

  1. o miga o teu amor pelo teu pai faz-me lembrar o meu amor pelo meu ..
    com certeza sao duas pessoas maravilhosas ....
    tudo que sei aprendi com os meus pais e todos os valores que nao abro mão foram ensinados por eles ....
    beijocas ...

    ResponderEliminar
  2. Parabéns Dulce.
    O teu Pai se parece muito com o meu.
    Algumas vezes levava-o para o hospital para os exames e ele encarregava-se de voltar sozinho.
    Gostava muito de ser independente e não nos prejudicar com faltas ao trabalho.
    Depois arranjava sempre motivo de conversa e era agradável com todas as pessoas.
    Hoje parece-me sentir mais a sua falta. Partiu em Abril de 2004 com quase 91 anos.

    ResponderEliminar
  3. Amiga Dulce,
    Que maravilha.
    Os pais sempre as nossas maiores referências...
    Eu acho graça que o meu pai que já tem 85 anos ainda nos trata (somos três irmãs) como se fôssemos ainda adolescentes :))...
    Parabéns, Dulce, pelo seu encantador pai.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
  4. Lindo e verdadeiro, o amor pela familia é maravilhoso, uma benção, que possamos sempre cultivar, porque quem segue aios seus jamais perecerá!!
    abraços

    ResponderEliminar
  5. É uma delícia ouvir-te falar do teu pai.
    Quando leio,até parece que o estou a ver.Retratas muito bem as características dele.Enfim,um regalo.
    O meu pai já partiu,com 85 anos,mas deixou-me uma excelente herança.Não de contas bancárias,nem nada que se pareça.Deixou-me o exemplo de um homem que acreditou e viveu a sua fé profundamente.
    Que ternura perpassa nas linhas em que falas dele! ,,,,,,
    bjinhosssss

    ResponderEliminar
  6. Dulce,

    Eu li o seu escrito no Facebook e me emocionei.
    Vim aqui ler a sua postagem, e me deparei com uma linda lição de amor.
    Há muito tenho lido sobre seu carinho e amor por seu paizinho, e isso é um bálsamo pra meu coração.
    Eu também amo demais o meu pai, e tenho um orgulho muito grande dele.

    No momento, ando sempre com pressa também, e estou em falta com postagens e visitas aos amigos, mas lendo sua atualização no Face, eu parei e vim aqui partilhar um pouco dessa linda história de amor entre pai e filha.

    Que ele continue espalhando essa alegria por onde passar. O mundo precisa de homens assim.

    Beijos

    ResponderEliminar

As palavras de amizade e conforto podem ser curtas e sucintas, mas o seu eco é infindável.
Madre Teresa de Calcutá