"Somos anjos duma asa só e só podemos voar quando nos abraçamos uns aos outros."

Pensamento de Fernando Pessoa deixado para todos os que estão na lista abaixo e àqueles que passam sem deixar rasto. Seguimos juntos!

OS AMIGOS

sábado, 3 de setembro de 2016

DÁ-ME SENHOR...




"Dá-me Senhor um coração abrasado 
pelo fogo do Teu amor.
Faz dele uma fornalha ardente 

onde possa queimar os estilhaços do que me abalroa 
Derreter as palavras que amordaço 
e deixar em lume brando as perguntas que não faço…
Dá-me Senhor um coração presente
Que ame sem medida
Mas que (ainda que amando) se afaste na hora certa
sem que se torne ausente…
Dá-me Senhor um coração sereno
Sustentado pela tua paz.
Porque na leveza do meu ser…
Por mais que o silêncio faça eco
Nas palavras que não digo
hei-de conseguir desfazê-las
se permanecer conTigo"

Dulce Gomes

domingo, 21 de agosto de 2016

SEMENTE ESCONDIDA





Hoje…
Só quero ser semente escondida na terra

Sem rasgar a penumbra que (da luz) me separa 
Ficar-me em contendas de paz e guerra
Render-me à solidão que a minha alma declara

Só quero ser asas caídas no chão que piso
Sem ter de voar rumo a um rumo qualquer
Vou poisar na rocha que me esmaga o sorriso
E banhar-me na mágoa enquanto me apetecer

Só quero encher-me do que me consome
Sem apelidar o que sinto pelo nome
Deixar que o meu “eu” se sobreponha ao “nós”

E sem pressa para que a luz se assome
Deixo que este torpor, de assalto, me tome
E vou ficar, temporariamente, comigo a sós

Com um beijinho para todos os que ainda visitam este degrau

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

FELIZ ANO NOVO


E porque a vida não nos permite ensaios e o tempo não espera por nós, vamos deixar que escorra por entre os dedos os últimos minutos deste ano saboreando cada segundo.
Que não fique por dar aquele abraço, nem por dizer a palavra que, sabemos, vai reconfortar o coração de quem a ouve.
O amanhã é como terra nua pronta para receber novas sementes ansiosas por despontar em busca da luz, mas não basta deita-las à terra, temos que as regar e arrancar as ervas daninhas que teimam em crescer lado a lado.

A esperança é para muitos uma utopia, para mim é palpável e sentida.
Continuo a acreditar no poder de mudança do ser humano; no amor que prevalece e na amizade verdadeira entre seres que se encontram.
Fazer amizades é fácil e está ao alcance de todos, mante-las está ao alcance, só, de quem se dá e doa de verdade.
Que Deus nos ajude a "ser" mais do que "ter".
Um beijinho a todos os que passam por aqui e votos dum Santo Ano muito abençoado.


Dulce Gomes

terça-feira, 20 de outubro de 2015

SINTO-ME VIVA



Sinto-me viva quando afago as palavras que me povoam e me permito escutar-lhes a melodia.
Sinto-me viva quando entrego o que sou e sinto numa simbiose (quase) perfeita que me faz sucumbir de alegria…
Sinto-me viva quando carrego a esperança nas palmas das mãos através de gestos espontâneos que falam por mim…
Sinto-me viva quando as pontas dos meus dedos são motores de busca devorando os restos do tormento que parecia não ter fim.
Sinto-me viva quando me falta o pé na maré alta dos mares revoltos, para de seguida pisar terra firme…
Sinto-me viva quando suborno o verso doído e o transformo em algo sublime.
Sinto-me viva quando a vida me desinstala, me incomoda, me fala…
Quando me faz cair para me erguer.
Quando me desconstrói para voltar a construir…
Quando me perco e algo superior a mim me diz por onde seguir…
Sinto-me viva…
Porque este viver ultrapassa esta vida
e vou existir muito para além do meu morrer…
Dulce Gomes


sexta-feira, 9 de outubro de 2015

A AMIZADE É ASSIM


Se me achares por aí
Não digas que me viste
Sobretudo se eu for triste.

Primeiro…
Traça-me (no rosto) um sorriso
Veste-me a alma de alegria
Mata-me a mágoa
Faz o que for preciso
Para iluminares o meu dia.

Enche o meu vazio de esperança
Faz-me acreditar
Porque quando a entrega se chama amar
Tudo vai ficar bem.

Mas de mim, guarda segredo
Sela em ti este vazio, o meu medo
Enfim…
Tudo o que a minha alma contém.

A amizade é assim
Eu por ti, tu por mim
Faz da tua, força minha
Porque quando me estendes a mão
Jamais me sentirei sozinha
Dulce Gomes

quarta-feira, 3 de junho de 2015

SUSSURRO






Há dias em que as palavras são sussurros inaudíveis
os sentimentos são confusos e imperceptíveis
e o meu rasto é um emaranhado de passos dados em vão.
E nesta impotência que me amordaça
a alma (rendida) esgaça ao esforço de fazer
tudo fica por dizer
Ando sem progredir, piso mas não sinto o chão.

Dulce Gomes

domingo, 31 de maio de 2015

SANTÍSSIMA TRINDADE


Em nome do Pai
Do Filho e do Espírito Santo.


"Glória ao Pai que nos criou
A Jesus que nos salvou
e ao Espírito Santo que nos ilumina e fortalece"
Amén!

quinta-feira, 23 de abril de 2015

SENHOR, SÓ TU ÉS!



A perigosidade da auto-suficiência, recorrendo apenas ao nosso "eu", como alavanca da nossa força para vencer os desafios que a vida nos propõe, conduz-nos à descoberta de caminhos ilusórios de felicidade e vitória. Caminhos largos e embriagantes; confusos, que nos envolvem numa paz sem consistência. 
Neles, embarcamos no facilitismo das coisas do mundo, aparentemente tão acessíveis e absorventes, que inundam o ser dos seres num sentimento de posse e superioridade fictícia.

Neles, perdemos o rumo e a identidade enquanto filhos de Deus...

SENHOR, SÓ TU ÉS! 
Eu sou porque Tu és em mim.

"Sozinhos, fazemos. Com DEUS SERVIMOS.
Sozinhos, damos. Com DEUS DOAMOS.
Sozinhos, falamos. Com DEUS TESTEMUNHAMOS."

Dulce Gomes.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

SANTA PÁSCOA

Perante este gesto SENHOR
Fico em silêncio
pairando dentro de mim...
Reconhecendo todas as vezes
(que por orgulho ou comodismo)
não fui capaz de ser AMOR...

Dulce Gomes.

segunda-feira, 2 de março de 2015

TRAGO EM MIM



Trago em mim a bonança e a tempestade
O peso do silêncio, o eco dum grito
Um recuo que avança ao sabor da verdade
Uma verdade que sustenta este avançar circunscrito

Trago em mim a colheita dos tempos idos
Semente cravada na essência que sou
Terra árida, campos floridos
Chão que se faz céu na estrada por onde vou

Trago em mim a sede que alimento ter
A coragem ou ousadia de Te procurar
E entre a luta intensa do "ter" e do "ser"
Peço-Te que não desistas de me encontrar

E esta bagagem que me povoa
Esta chama ardente que não se consome
Escorre no meu peito mas não magoa
Porque És amor que me mata a sede e sacia a fome

Dulce Gomes


terça-feira, 27 de janeiro de 2015

CONFIANÇA



Quem confia, a Deus, os seus passos, não teme os obstáculos que vai encontrar.
Olha em frente com a firmeza de quem sabe que a fé move montanhas e aplaina caminhos; com a consciência de que terá de pisar muito chão irregular e que esse mesmo chão pode tornar-se um deserto ou um amontoado de pedras, à partida intransponíveis.
Nos momentos de provação, a nossa fraqueza cega-nos o coração deixando-o ao abandono do sofrimento que elas nos causam, mas mais tarde iremos concluir que não foi uma travessia solitária, Ele esteve sempre lá.
É bom olhar o caminho desbravado, mas não o façamos com um estado de alma virada apenas para, a pena, de nós próprios. Façamo-lo no silêncio com Deus. Deixando que Ele nos situe com exactidão onde foi que nos abraçou e pegou ao colo; onde nos mimou e fez sorrir; onde nos inundou com amor e nos pôs uma alegria tão grande na alma que não couberam nas palavras ditas ou escritas.
Trazer o passado para o presente pode ser um exercício demasiado penoso se nos detivermos mais tempo abrindo as cicatrizes mal curadas (das perdas, dos desamores, do infortúnio) do que mergulharmos nos pedacinhos de céu-aberto que caíram como pérolas.
Se o caminho fosse sempre plano, nunca descobriríamos a nossa força interior. E a trajectória da nossa força faz-se de dentro para fora porque é lá que Ele habita e se manifesta.

"Sejamos gratos pelo passado, presentes no presente e convictos de que o futuro são reticências que vamos empurrando para a frente à medida que escrevemos o agora."

Dulce Gomes

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

HÁ UM MAR

O ano de 2014 acabou assim num concerto de Natal na Igreja de Melides.
O Senhor é bom e faz acontecer o impensável. Porque...
"Tudo posso Naquele que me fortalece"
Filipenses 4:13



Letra e música deste ser imperfeito de quem o Senhor não desiste...
Arranjos musicais e interpretação do grupo de Cantares "Falta Um"

Um Ano cheio das bençâos de Deus

Dulce Gomes

sábado, 1 de novembro de 2014

NA RODA DA VIDA



Na roda da vida tudo se agita e se altera à mercê dum tempo que não nos dá tempo.
Tudo está em permanente metamorfose, nós incluídos.
Mudamos os gostos, os objectivos, as prioridades; mudamos os gestos, digerimos os restos; calamos mágoas, soltamos afectos – e num todo – somos umas vezes rio cristalino e outras, um mar de lodo.
A paisagem muda, as pessoas também e a vida obriga-nos a saber estar com todos e sem ninguém…
A solidão…
 Pode ser um poço escuro, um muro, um rio sem ponte; pode ser um céu acabrunhado onde não se riscou o horizonte…
Solidão presente num aglomerado de gente, que apressada, fitando o vazio enxerga pouco mais de nada…
Solidão que existe nos diálogos inexistentes ou sem sentido, no rasgo dorido das palavras corrosivas, em que o tempo nem nos dá tempo para lamber as feridas…
Na verdade somos gente. Gente sem tempo. Embora tão ou mais inconstantes que o vento.
E apesar de racionais gastamos tanto do nosso precioso tempo agindo como animais…
Mas a solidão também é um motor de busca, um ponto de encontro, de escuta e comunhão, onde a Luz se faz presença, chama ardente, que de tão intensa incendeia e dissipa a penumbra que nos dilacera o coração.
E eu, neste tempo que roubei ao tempo que não me sobra, escrevo para me sentir viva por dentro e ao mesmo tempo confirmar que continuo sendo Teu projecto e obra.
Obra imperfeita, inacabada, que se suspende na espera do toque que, sabe, virá das mãos do Mestre.

A folha em branco é a solidão que procuro porque sei que me esperas de mãos vazias."

Obrigada meu Senhor e meu Tudo!

Dulce Gomes

terça-feira, 23 de setembro de 2014

NÃO FECHEIS OS VOSSOS CORAÇÕES


"Se hoje escutardes a voz do Senhor, não fecheis os vossos corações."


Que o nosso coração não se endureça para escutar, nem a nossa boca se canse de O anunciar...

Dulce Gomes

domingo, 27 de julho de 2014

SOBRE O MEU LIVRINHO "SOB UM TECTO DE DOCE LUZ"




Tudo começou com esta frase:
"Só por Ti Jesus..."
As reticências representam a "obra" imperfeita e inacabada que sou, mas que entrego para que Ele me lapide. 
O limite? Está nas Suas mãos!
Por Ele e com Ele, tudo acontece...

Meus amigos.
Quase a fazer um ano sobre o lançamento do meu livrinho "Sob um tecto de doce Luz" é tempo de fazer balanço e de partilhar convosco o seguinte:

Lembram-se do objectivo principal deste livro?
Em 1º lugar:
Tinha e tem como meta espalhar uma mensagem através de tudo o que Jesus me deu e dá.

Em 2º lugar:
Entregar exemplares a associações ou instituições para que o lucro revertesse a favor das mesmas. Foi conseguida!

Em 3º lugar: 
Todo o lucro dos livros por mim vendidos seria canalizado para uma causa.

Pois bem, graças a todos vocês que o adquiriram e/ou deram a conhecer através da internet (com partilhas) e do vosso parecer, testemunhando sobre ele, a venda fez-se a bom ritmo. 
Posso dizer-vos que enviei exemplares para todo o País (e não só) e restam-me poucos para venda.
E a parte melhor concretizou-se!
O lucro dos livros (por mim vendidos) já foi aplicado para adquirir um bem de primeira necessidade para alguém...
Perdoem-me o sigilo, mas por respeito não direi a quem. O que realmente importa é que, graças a Deus, mentor dos meus passos e de tudo o que sou, hoje sinto o meu coração abrasar de alegria e com aquela sensação de dever cumprido:)
Partilho para que todos os que tomaram conhecimento e fizeram parte deste projecto, saibam que o princípio/base do mesmo foi conseguido com a bênção e graça de Deus.

Alguém me disse há uns dias que temos que aprender a desprender-nos do que não nos faz falta.
Acho que já nasci solta do "acessório" porque o essencial são as pessoas e não as coisas.
Obrigada a todos os que contribuíram ou contribuem para que este desafio fosse possível.
Bem hajam!

Mais adianto que ninguém que mostrou interesse em lê-lo, ficou sem o fazer por não ter disponibilidade financeira para o adquirir.

"Recebeste de graça, dai de graça..."
Mateus 10, 8

(Este livro começou a esboçar-se com a abertura deste blog. Sentada neste degrau o Senhor usou do que misericordiosamente me quis dar. Através deste espaço, vocês, meus amigos, entraram na minha vida e passaram a fazer parte deste projecto.
Obrigada e bem hajam!)

Dulce Gomes