"Somos anjos duma asa só e só podemos voar quando nos abraçamos uns aos outros."

Pensamento de Fernando Pessoa deixado para todos os que estão na lista abaixo e àqueles que passam sem deixar rasto. Seguimos juntos!

OS AMIGOS

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

PEDACINHO DE CÉU

Preciso manter distância, elevar um muro.
Sossegar em meu canto e procurar aconchego em Ti,

meu porto seguro.



Preciso parar, descansar do cansaço, entender o porquê deste envolver
onde tudo absorvo e toda e qualquer causa me entranha e abraço…
Preciso, de a sós contigo perguntar-te, o porquê de me abrir sem resistência nem prudência e no meio desta envolvência nem temer o perigo.
Preciso que a tua aura me inunde num círculo de luz.

Luz que incida em cada meu recanto e o encha do tanto que essa luz produz.
Preciso da paz, da ternura, deixar que escorra e me percorra o que de Ti recebo
e absorver o que me dás de forma tão pura.
Preciso dum forte enlaço, dum pedacinho de céu.
Então, restaurada e mais segura serei fortaleza, recomeçarei com destreza
levando o abraço que é meu e Teu!

Dulce Gomes

(Senhor dá-me discernimento e sabedoria para entender os alguns porquês)

PARABÉNS "XUBINHA"

UM DIA...UM ANJO NASCEU! TRAZIA NAS MÃOS A MAGIA E NOS OLHOS
A ALEGRIA DUMA ESTRELA VINDA DO CÉU...



AO VÊ-LA O SOL BRILHOU
E PREGUIÇOSO SE RECOSTOU
DORMINDO COM ELA UM SONO
TODOS OS DIAS NESTE DIA
O MESMO SOL APARECE
E COMO PRENDA LHE OFERECE

UM RAIO DE SOL DE OUTONO!


PARA TI NANA LINDA

UM BEIJINHO DO CORAÇÃO DA TITI, DU!


( A Ana lúcia é a minha única sobrinha. Mas muito para além da relação sobrinha/tia, ela é a amiga com a qual posso contar em todas as horas e momentos. Caminhamos de mão na mão com Maria no caminho para Jesus. Por tudo isso e muito mais te agradeço: "Obrigado xubinha")

domingo, 27 de setembro de 2009

AMIZADE




Amizade é bem-querer, estima e dedicação
é a extensão do nosso ser, refúgio no sofrer
é partilha e união.
É uma espécie de amor que se guarda num cantinho
responder ao chamado, um segredo calado
é não estar sozinho.
Amigo é um abraço, uma mão que se estende
entendimento mútuo, algo que não se compra nem vende.
É falar em silêncio, presença sem invasão
longe na distância, tão perto do coração.
É alegria no dar, doar sem exigir
confiança sem questionar, amparo antes de cair.
É presença na adversidade, um ombro consolador
sentimento sem inverdade num coração de amor.
É desabafo é escuta, incentivo à luta
carinho, acolhimento…
É uma cruz que não pesa, alegria na tristeza
leveza num mau momento.
Uma prece discreta, baixinha, quase secreta…
Verdade que por vezes dói.
Mas desses breves instantes, únicos e importantes
É que uma amizade se constrói!

Dulce gomes
Para todos os meus amigos e hoje especialmente para ti, amiga lena.
Jesus disse: «Vinde a Mim vós que estais cansados e Eu vos aliviarei»
Um beijo com um abraço daqueles...


sábado, 26 de setembro de 2009

SEM TI...

Obrigado meu Jesus!


Sem Ti...
Sou barco que navega sem timoneiro
Sou peixe sem água para nadar
Sou brisa salgada sem cheiro
Sou rio que seca e não chega ao mar.
Sem Ti...

sou canteiro sem flor
Sou paixão vivida sem amor
Sou silêncio sem reflexão
Sou sonho risonho, mas tão breve
Felicidade que se esconde, mas minha alma persegue
Sou tábua à deriva sem salvação!
Por Ti…
O sol aquece em tarde de inverno
Oiço anunciar o Teu amor eterno
Não tenho asas mas voo contigo
Não vejo mas sinto sinais

Não peço mas alcanço mais
Tu Jesus...

És meu Porto de abrigo!

Dulce Gomes

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

O PERDÃO



Será que basta dizer: “Já perdoei, já esqueci”
Quanta vezes já o disse, mas afinal não o fiz...
É que perdoar vai para além do empenho.
Anulo o rancor, mas fica uma espécie de dor
que se instala e nem sempre detenho.
Como um processo que se arrasta longo e penoso
e de tão doloroso, me corrói e desgasta.
Em desespero...
envio ao meu coração uma ordem de perdão
apelando ao sentimento.
Mas chego à conclusão de que, o perdão só se consegue
com a maturação do que se sente por dentro.
Então sem apagar, arrumo com jeito num cantinho do peito
e deixo-o lá ficar.
E sei que já perdoei,
quando um dia lá voltei e deixou de me magoar.

Dulce Gomes
( Senhor ensina-me a amar, a pedir perdão e a saber perdoar cada vez mais)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

OBRIGADA SÃO E RUTE

Partilho com todos um miminho enviado por duas amigas. A Sãozinha e a filhota Rute. Fizeram-me rir suas malandras e ainda por cima disseram a idade, mas fica entre nós, ok?

DIA DE ANOS
Com que então caiu na asneira
De fazer na segunda-feira
Cinquenta anos! Que tolo!
Ainda se os desfizesse...
Mas fazê-los não parece de quem tem muito miolo!
Não sei quem foi que me disse que fez a mesma tolice

Aqui o ano passado...
Agora o que vem, aposto
Como lhe tomou o gosto,
Que faz o mesmo? Coitado!
Não faça tal: porque os anos, que nos trazem?

Desenganos, que fazem a gente velho:
Faça outra coisa:
que em suma, não fazer coisa nenhuma,
Também lhe não aconselho.
Mas anos, não caia nessa!

Olhe que a gente começa
Às vezes por brincadeira,
Mas depois se se habitua,
Já não tem vontade sua,
E fá-los queira ou não queira!

João de Deus

Com um beijinho do coração
das amigas Conceição e Rute
21.09.09


PARABÉNS MINHA TITI!




Minha querida titi, desejo-te um Feliz Aniversário, apesar de algumas lembranças que teimam em aparecer nestes dias e que nos fazem ficar com uma lagrimita saltitante. Mas, no fundo, ainda bem que as temos porque é sinal que as vivemos e, se nos deixam saudades, é porque foram momentos bons que passámos com aqueles que amamos e que, apesar de já não termos a sua presença física, ainda estão muito presentes no nosso coração.


Muitos beijinhos da xubinha para a minha titi do coração!

A CAIXINHA


Hoje abri a caixinha de recordações onde diz a palavra “Mãe”
Poucas vezes o faço porque é para mim sempre penoso, mas corajosa avancei. Assim, fechando os olhos abri aquela caixinha preciosa e inevitavelmente deixei-me invadir por um rol de momentos dum passado, que continua bem vivo e recente dentro de mim. Procuro-a sempre neste dia com um só objectivo mas sempre que a destapo, o que salta em primeiro lugar é o que mais me dói, talvez porque foram as suas últimas etapas de vida, ou talvez, porque são aquelas que afasto de imediato quando elas persistentemente teimam em invadir o meu espaço.
Assim, como um assunto por resolver, hoje deixo que esses flashes desfilem lentamente por mim, aceito-os, recordo-os profundamente e choro-os. Até que por fim, bebo as minhas lágrimas e avanço ansiosa.
Cerro os olhos com mais força para sacudir de vez aquela pressão que me aperta o peito, que quase o esmaga de tristeza...e prossigo. Agora sim, estou pronta!

Vejo-me a avançar pelo corredor da sua casa, entro na cozinha e ela já me espera como sempre, abre os braços e com o seu típico sorriso, diz-me:
“Parabéns querida filha”!

da tua filha Dulce

(Senhor, dou-te graças pela mãe que tive e por neste dia continuar a percorrer o mesmo corredor e ouvir o meu pai dizer:"Parabéns filha". Depois também tenho que te dar graças pela minha família e pelos meus amigos. Um beijinho do coração para todos eles, que contribuem para o meu crescimento como ser humano. )


sexta-feira, 18 de setembro de 2009

(IN)QUEBRÁVEL


Sinto-me como vidro, frágil, quebrável, transparente.
É que meus dias se agitam e se abrem cada um de modo diferente.
Uns nascem lentos e sem magia, entorpecendo os meus sentidos, outros ensolarados com sabores adocicados despertando em mim anseios quase adormecidos.
Nesta inconstante diversidade, nunca sei o que me espera mas também nem ouso querer saber.

Sei lá se gostaria de saber de antemão o que me traria o novo dia?
Talvez viesse a sofrer por antecipação…
Sendo assim de que me queixo?
Da capacidade de mudança que a vida tem a cada minuto, ou do inquestionável poder de liderança que me deixa insegura e indefesa?
Mas e depois?
Tivesse eu o poder absoluto, reinaria com maior destreza?
Saberia eu redigir passo a passo cada novo segundo?
Claro que não!
Porém, embora ao sabor do vento, sempre que o dia chega ao fim,
procuro-me!
Elevando a Deus o meu pensamento, olho cá dentro, bem no fundo de mim.
Nesta encruzilhada, cruzo o que fiz, o que sou
e nas sobras do que do dia restou, sinto que estou um pouco quebrada.
Apanho os cacos, pedindo a Deus que me restaure para prosseguir a minha caminhada.

Dulce Gomes


terça-feira, 15 de setembro de 2009

PROVAÇÕES


De que me serve interpelar porque me prega a vida "partidas"?
Prefiro mais desvendar que lição posso tirar de cada partida da vida.
Em tempos me amotinei e na revolta encontrei o escape ao meu motim, mas a primeira lição foi aceitar com resignação que a vida, é mesmo assim.
Tenho dias em que me afundo!
Quando à mesa há um lugar vazio de quem amo, mas partiu e meu coração fragmentado, mirra de despedaçado.
Quando alguém está triste ou adoece e no meio da aflição só me resta uma prece.
Quando a injustiça me agride e avassala, quando sou incompreendida
e a minha compreensão resvala...
Quando me dou sem limites e não entendem o meu empenho, quando falo com verdade e recebo desdenho...
Quando sofro por um amigo e choro o seu pranto, tento e não consigo correr ao seu encontro…
No meio destas contradições tirei tantas lições…
Quanto aprendi!
Aprendi que há várias formas de amar, aceito cada uma sem as julgar.
Que a vida é uma viagem que acaba, sem levar bagagem…
Que a amizade floresce conforme nosso amor cresce.
Que o ressentimento trava o perdão, o orgulho a humildade, sem fé não há aceitação, tampouco haverá verdade.
Por isso aceito o que me corrói, sofro mas não me destrói…
São provações que a vida me oferece.
Dádivas do meu Senhor que por me ter tanto amor me ensina, que sofrer fortalece!
Dulce Gomes
( Meu filho se te apresentares para servir o Senhor, prepara-te para a provação.
Procura ter um coração recto, sê constante e não te desvies no tempo da adversidade.
Ecle2,1.2)

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

ESPÍRITO SANTO


Espírito Santo, vem!
Desce sobre cada um de nós e ilumina os nossos corações.
Consola os que sofrem, dá a paz aos perturbados
enche-nos e inunda-nos com o dom da caridade, da verdade
de união.
Purifica-nos e molda-nos.
Faz-nos dignos de caminhar na tua luz.
Mostra-nos o esplendor da tua face.
Espírito, amor de Deus
derrama sobre nós a plenitude do teu amor!
Dulce Gomes

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

UM ABRACINHO

Há dias em que a nossa cruz é mais pesada e nestes últimos, realmente tem sido difícil.
O meu sogro com 92 anos bem conservados foi ontem operado a uma catarata.

Então, todos nós (eu, minha irmã e nossos maridos) temos andado numa roda-viva, dividindo tarefas e revezando-nos para lhe dar assistência e cuidar da minha sogra que ficou em casa e sofre duma aterosclerose, já avançada.
Ontem, dia da sua operação, foi a minha vez de ficar com ela, tratá-la, levá-la ao centro de saúde para fazer um curativo numa perna e ficar a dormir em sua casa para que não ficasse sozinha.
Quando chegou ao fim do dia, eu estava extenuada, pois levei todo o dia tentando convencê-la a comer, a fazer a higiene, enfim, o normal. Por fim chegou a noite e comecei a prepará-la psicologicamente para o facto de estar na hora de dormir, pois eu não via a hora de finalmente sossegar para descansar de um dia agitado e desgastante.
Fui com ela para o quarto e munida de mais uma boa dose de paciência, observei-lhe os movimentos: fez e desfez a cama, vestiu e despiu o pijama, foi três vezes à casa de banho e tudo isto, sem querer que eu ajudasse, até que lá se deitou. Eu dei-lhe um beijinho de boa noite e preparava-me para lhe voltar as costas para sair do quarto, quando a ouvi chamar por mim e levantar-se.

Frustrada, pensei: “ainda não é desta”.
Olhei-a e ela já estava de pé e disse-me:
-“Anda cá filha”
Eu voltei e aproximando-me disse-lhe:
-“Diga lá mãe, o quer mais”
Ela abriu os braços pequeninos e disse:
-“Quero um abracinho de amiga, filha”
Perplexa, olhei-a e sentindo uma ternura enorme, apertei-a num abraço, beijando-lhe os cabelos brancos, sentindo aquele corpo frágil e tão curvado pela idade todo aninhado em mim.
Durante o tempo que durou aquele abraço, tive tempo para que o meu pensamento divagasse num misto de sentimentos. Senti-me arrependida por querer que o meu dia chegasse ao fim, por ao longo do dia ter momentos de menor paciência e por desejar que ela fosse deitar-se, rapidamente.
É que afinal, ela atrasou a sua ida para a cama, só para me dar um abraço…


(Hoje estou emocionada, sinto-me egoísta e peço a Deus que faça de mim uma pessoa melhor, mais tolerante e mais paciente.)

Dulce Gomes



quarta-feira, 9 de setembro de 2009

ONDE ESTARÁ DEUS?



Quando a forte tempestade vem, pergunto-me:"Onde estará Deus?"
Quando o vento sopra, impiedoso, pergunto-me:"Onde estará Deus?"
Quando estou caminhando e caio, pergunto-me:"Onde estará Deus?"
Quando a noite chega e tudo parece trevas, pergunto-me:"Onde estará Deus?"
Então, vejo, na tempestade, a chuva molhando a terra ressequida, enchendo rios e riachos, para que tantos seres vivos, assim como eu, tenham água para se manterem vivos e penso em como Deus é generoso;
Então, penso no vento, refrescando a terra e carregando consigo, sementes, que levará para germinar em terras distantes e, com certeza, serão flores a alegrar o meu caminho e penso em como Deus é sábio;
Então, quando caio, percebo como é bom poder contar com a mão de Deus para me levantar; Mão que me dá forças para continuar;
Então, quando tudo parece só escuridão, lembro-me que Deus é a luz, que me ilumina e me mostra o caminho a seguir.
Penso, por fim, que a minha vida é um dom de Deus e por mais que eu me alegre ou sofra, sempre terei muito que agradecer-Lhe, pois dá-me sempre muito mais do que realmente mereço receber. A minha vida, por si só, já é um maravilhoso presente.
(Texto retirado de: "Gotas de orvalho", um livrinho de orações de Miriam Fátima pinto de Oliveira, que me foi oferecido pela minha querida amiga Manela.
Para ti minha amiga, devolvo a dedicatória que me escreveste:
"Com carinho e que Deus esteja sempre presente no teu coração. Um abraço com a paz de Cristo"
Acrescento: Tu minha amiga és o exemplo de fé e de amor a Deus. Ainda que venham dias difíceis, saberás ultrapassá-los, como tantas vezes já o fizeste. Que a paz que tanto anseias e mereces desça sobre ti.
Da sempre tua amiga, Dulce

sábado, 5 de setembro de 2009

MADRUGADAS


Sou folha em branco, sem conteúdo nem frases em desalinho.
No entanto não sustenho meus dedos, que desenfreados percorrem de mansinho e sem medos as minhas alegrias, tristezas, dúvidas feitas de constantes incertezas e outros sentimentos que tais.
Contudo, o que mais me custa é saber que existe, uma compreensão diminuta do que sou, do que faço...
Nesses momentos atraso o meu passo e pergunto-me:
"Afinal quem sou? Para onde irei? Sei lá, às tantas nem sei"!
Mas minhas mãos não se compadecem e continuam desobedecendo. Teimam em me expor, em falar de mim, remexendo sem pudor quase como castigo...
Nesta demanda a dois tons, solto um: "chega, já basta!" Mas que adianta se meu “Eu” não comanda? E quando me apercebo, lá estou de novo, peregrina da madrugada onde me abrigo, feita de insónias e sonos rendilhados...
Ah, rendo-me, perdi!
Deixo de resistir e sigo este fraseado de rimas e pontos, de vivências e contos, com os quais sofro e sou por vezes feliz.
Entre folhas amachucadas, descrevem fragmentos que são tão meus e fazem parte de mim…
Entrego minhas mãos nas de Deus, quem sabe
não terá que ser assim…


Dulce Gomes