"Somos anjos duma asa só e só podemos voar quando nos abraçamos uns aos outros."

Pensamento de Fernando Pessoa deixado para todos os que estão na lista abaixo e àqueles que passam sem deixar rasto. Seguimos juntos!

OS AMIGOS

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

MONTANHA AZUL...

Hoje foi mais dia de voluntariado na Capelinha do Lar e como sempre e está estipulado, depois do terço, dividimo-nos em cada semana pelos três anexos do mesmo para assim tentarmos chegar junto de todos e levar um pouco de nós. Este pouco, vai desde a oração, à escuta, à ajuda espiritual e até ao momento musical: cantorias - improvisadas ou não – onde nem falta um fadinho cantado pela minha irmã Isabel.
Na hora do terço soubemos pelo marido duma senhora que está acamada e que costumamos visitar, que ela estava vestida e à nossa espera para a levarmos para a salinha onde costumamos reunir-nos, ansiosa para estar presente. O problema é que hoje não era o dia daquele anexo e esperavam-nos noutro lugar…
Pensativas, nenhuma de nós conseguia sair dali e deixá-la de mãos vazias. Fomos ao quarto da senhora - o marido ao lado - e encontramo-la deitada na cama mas toda arranjada como se fosse para uma festa. Dissemos-lhe que não poderíamos ficar...
Ela, resignada, disse que não fazia mal, só queria ouvir cantar o fado da “Montanha Azul” que havia escutado do seu quarto, mas ao longe, num dos dias em que lá fomos.
Instintivamente, rodeámos a sua cama e de mãos dadas a minha irmã soltou a voz…
Ela fitou o infinito, como que, para absorver todo e qualquer pedacinho do que estava recebendo; o seu olhar espelhava um brilho renascido; a sua expressão era luminosa e o sorriso contagiante. Deixámos escorregar a emoção e deslizámos noutras canções de louvor e graças...
Saímos sem palavras, impregnadas pelo momento e  percorremos a distância que nos separa até ao outro anexo quase em silêncio. 
Quais as palavras adequadas para soltar nestes momentos? Não existem por mais que as procuremos.
Quebramos o silêncio à chegada, quando fomos acolhidas pelos abraços e beijos de saudade, pelas palavras de carinho de todos os que nos esperavam. E aí, adiámos a interiorização de tudo o que trouxemos e recomeçámos de novo a dar, a receber e a encher ainda mais a nossa "taça", que hoje transbordou de tantas graças recebidas e que nos empurrou montanha acima, bem mais perto do azul do céu.

Dulce Gomes

8 comentários :

  1. E que belissima partilha...

    Tenho a certeza que as montanhas dessa senhora, se tornaram em planaltos... nem que por um instante...

    Beijinho fraterno

    ResponderEliminar
  2. Bem haja, Dulce, pelo bem que faz às almas dos que têm a graça de privar consigo e gozar da sua companhia e orações.
    Um grande abraço, do Norte até ao Sul

    ResponderEliminar
  3. Trabalho lindo, e nem é trabalho é doação feita com carinho. O doar-se não é trabalho, chega a ser semeadura. Parabéns, amiga!

    ResponderEliminar
  4. Dulce

    Esses momentos são impagáveis!
    Trabalho muito meritório o teu e da tua irmã.
    Quantos velhotes não têm ninguém que os visite,ou,talvez nem tenham família!E com a vossa chegada ao lar renasce-lhe um fiozinho de esperança,de calor humano.
    Descreveste tão bem a visita que até vi os rostos felizes dos velhinhos.Mais,perpassou por entre linhas uma enorme emoção...
    Faço minhas as palavras da Maria Luíza.Sim,porque a tua doação dará frutos,quer para ti quer para os idosos.
    Ah coração grande!!! Muito bem!!!!!!
    bjinhos amiga

    ResponderEliminar
  5. Amiga que maravilhosa partilha.
    Ao darem momentos tão insignificantes para alguns...Deram vida amor e carinho para outros e um desejo tão simples realizado deu tanta alegria a quem recebeu, e quem deu de certeza encheu o coração e ficou feliz.

    A vida é assim dar no momento certo, receber sempre que a ocasião se apresenta.

    Esta canção encheu-me de alegria a voz entoa, parabéns, obrigada e que Deus se sirva sempre de vós para que em gestos pequeninos Ele possa fazer grandes obras.

    Santo natal
    Utilia Ferrão

    ResponderEliminar
  6. que te posso dizer minha querida amiga que tu já não saibas ??
    só te posso dizer que me enches de orgulho ,,, tenho muito orgulho em vós todas ..~

    jinhos ..

    ResponderEliminar
  7. Querida amiga,

    Quando as coisas vão erradas e o momento é de crise, não pense que todos os seus esforços têm sido em vão, segue.
    Talvez tudo tenha sido para melhor. Sorria... E experimente outra vez! Pode ser que o seu aparente esforço venha a ser a porta mágica que o conduzirá para uma nova felicidade, que você jamais conheceu. Você pode estar enfraquecido pela luta, mas não se considere vencido. Isso não quer dizer derrota. Não vale a pena gastar seu precioso tempo em lágrimas e lamentos.
    Levante-se!
    E enfrente a vida outra vez. E, se você guardar em mente a alto objetivo de suas aspirações, os seus sonhos se realizarão. Tire proveito dos seus erros. Colha experiências das suas dores. E, então, um dia você dirá:
    “... GRAÇAS A DEUS EU OUSEI EXPERIMENTAR OUTRA VEZ,
    E REENCONTREI A PAZ, O AMOR E A FELICIDADE..."

    Que a paz de Deus permaneça no seu coração renovando suas forças e esperanças a cada dia!

    http://www.youtube.com/watch?v=rRw715y39hU

    Um abraço carinhoso da equipe do Yehi Or

    http://hajalluz.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  8. Dulce,
    Belo exemplo.
    "Tudo o que fizerdes aos mais pequeninos é a mim que o fazeis"!
    E assim acontece Natal, que se repete pelo ano inteiro.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar

As palavras de amizade e conforto podem ser curtas e sucintas, mas o seu eco é infindável.
Madre Teresa de Calcutá